notícias

ECONOMIA, SEGUNDO ZEINA LATIF

A economista Zeina Latif conversou com os diretores do Sindigraf-SP, da ABIGRAF-SP e com os integrantes do Conselho Consultivo no último dia 21, na sede das entidades. Ela disse estar surpresa com os resultados da área econômica no primeiro ano de governo Bolsonaro. “Eu não estava no grupo de analistas otimistas, mas embora ainda tímidos, vejo com bons olhos os sinais de recuperação da economia”.

Zeina separa a recuperação econômica em dois setores: comércio e indústria. “O varejo vai bem, mas a recuperação da indústria será mais lenta”. Para mudar esse cenário, ela recomenda que entidades empresariais pressionem o governo pelas reformas. “O governo atual continua com a mesma política econômica de Michel Temer e isso é bom. Juros mais baixos, grandes empresas entrando no mercado de capitais e o crédito para pessoa jurídica voltando lentamente são bons indicativos, mas para destravar a indústria é preciso insistir na reforma tributária”. 

Segundo a economista, o varejo vai bem pois tem acesso a produtos importados com baixo custo, o que está causando um recorde de importações de produtos manufaturados. Em relação à indústria, Zeina foi questionada sobre se vale ou não a pena o empresário gráfico investir em novas tecnologias ainda este ano. “A crise deprimiu demais o investimento de toda a indústria e para voltar a ter competitividade, o empresário deve fazer três coisas: cuidar da gestão da sua empresa, aprimorar a qualificação de seus colaboradores e investir com coragem e planejamento. Para se recuperar e vencer a crise, não tem como não investir”, disse a economista.   

Zeina Latif tem 52 anos e é considerada uma das mulheres mais influentes do Brasil na Economia. É doutora em economia pela Universidade de São Paulo e possui passagem por diversos bancos como HSBC, ING e Royal Bank of Scotland. Saiu da XP Investimentos, onde era economista-chefe, por decisão própria no início do ano e vai se dedicar a tocar projetos pessoais, além de prestar consultoria para empresas.